A liderança indígena Amaury Amaral Tupinambá foi eleito para representar o município de Ilhéus na VI Conferência de Cultura do Estado

A liderança indígena Amaury Amaral Tupinambá de Olivença de Ilhéus, foi eleito delegado nesta segunda-feira (21), na VI Conferência Estadual de Cultura da Bahia da etapa do Território de identidade Litoral Sul, realizada pela Secretaria de Cultura da Bahia (SecultBA), que aconteceu no Centro de Cultura Adonias Filho em Itabuna.

Amaury Amaral Tupinambá, será o único representante de Ilhéus, que participará da  VI Conferência Estadual de Cultura da Bahia, que acontece entre os dias 06 e 08 de dezembro no município de Feira de Santana e faz parte da IV Conferência Nacional de Cultura que acontecerá entre 04 a 08 de março de 2024.

Com uma participação importante nas atividades, os indígenas garantiram a representação do município de Ilhéus na etapa estadual

Os indígenas Amaury Amaral Tupinambá de Olivença do município de Ilhéus, e a liderança Maína Pataxó Hahahãe de Itaju do Colônia, foram os  escolhidos e representarão o território Litoral Sul, na Conferência Estadual de Cultura da Bahia, que também foram eleitos nas respectivas etapas das conferencias de seus municípios.

Amaury Amaral Tupinambá de Ilhéus e Maína Pataxó Hahahãe de Itajú do Colônia, serão os representantes indígenas do Território Litoral Sul na Conferência de Cultura da Bahia

Para o presidente Walney Magno do Instituto dos Povos Indígenas da Bahia, o empenho e dedicação assumido pelos indígenas em favor da construção das políticas para a cultura, através do controle social, oportuna um protagonismo nas discussões para avançar nas conquistas das demandas culturais “é também o nosso papel, contribuir efetivamente para o fortalecimento do setor”, afirmou Walney Magno, que no evento, representou o movimento unido dos povos e organizações indígena da Bahia – MUPOIBA.

A professora Cláudia ávila de Itabuna, coordenou parte das atividades com a participação de jovens

Com o título “Cultura e democracia em construção na terra da liberdade”, a Bahia assumiu o compromisso de implementar suas principais resoluções, com construção da lei orgânica, planos setoriais e dentre outros o Plano Estadual de Cultura que em 2024 completará dez anos de sua concepção, e neste momento de interlocução com os sujeitos que atuam no campo da cultura será um espaço propício para sistematizar as demandas para incluir no novo plano bem como avaliar as diretrizes e estratégias realizadas.